segunda-feira, 31 de março de 2008

>

MORTES E POLUIÇÃO NO CANTEIRO DE OBRAS DA CSA

Três operários e um pescador morreram nos últimos dias

Nas últimas 48 horas no canteiro de obras da CSA - Companhia Siderúrgica do Atlântico ocorreram 4 mortes, sendo a de 1 pescador (cujo corpo até o momento não foi encontrado) e 3 operários que foram esmagados por um guindaste.

REBOCADOR DA CSA ATROPELOU BARCO DE PESCADORES: o rebocador da CSA, Guaratatuba 2, atropelou na madrugada de ontem o barco de pescadores artesanais no canal de S. Francisco (Sta. Cruz, Zona Oeste do Rio de Janeiro). Segundo relatos de pescadores, as vítimas estavam descansando da pescaria às margens do canal e esperavam clarear o dia para volta pra casa, a embarcação estava com a luz acesa. Na madrugada de 25/4 para 26/4/2008. O corpo até o momento não foi encontrado. O rebocador da empresa teria avançado sobre a embarcação com as luzes apagadas, o que é proibido. Após atropelar o barco de pesca, o rebocador foi embora sem prestar socorro. Após algum tempo, funcionários da CSA pegaram 1 dos pescadores (o corpo do outro continua sumido até o momento) e o levaram para o canteiro de obras da CSA e daí o transferiram para um hospital particular (Cremeru). O barco da vítima está retido ilegalmente pela empresa, a família não teve acesso à embarcação. Ontem o advogado da associação de pescadores do Canto do Rio, Victor Mucare, esteve na Delegacia de Polícia de Santa Cruz e denunciou várias irregularidades às autoridades policiais como o fato de ter transferido a vítima para hospital particular, e não ter sido feito o registro de ocorrência na delegacia, além disso, funcionários da CSA foram ao hospital e pressionaram o pescador internado e seus familiares oferecendo dinheiro para não fazerem a ocorrência policial. Segundo o advogado, a empresa tenta abafar o crime e a sua responsabilidade sobre o atropelamento. A assessoria de imprensa da CSA tem informado que trata-se de uma colisão, o que não é verdade!
A Capitania dos Portos de Mangaratiba constatou hoje que o local do acidente foi alterado por funcionários da empresa.


O Registro de Ocorrência na 36ª. DP recebeu o No. 036-01741/2008


Desde o ano passado, diversas associações de pescadores e o Fórum de Meio Ambiente da Baía de Sepetiba vêm avisando, por escrito, diversas autoridades, como a Procuradoria Geral da República, sobre o descontrole operacional das obras da CSA (Companhia Siderúrgica do Atlântico), presença de milícias armadas em barcos expulsando os pequenos barcos de pesca das proximidades das instalações, e dos impactos sociais e ambientais provocados pela dragagem de grande volume de lama contaminada por metais pesados (VER ABAIXO). Ontem ocorreu novo vazamento de óleo nas instalações da CSA provocando nova mortandade de peixe.
A empresa promoveu desmatamento de grande extensão de manguezal (Crime Ambiental).

Maiores informações:
Sérgio Ricardo - Fórum de Meio Ambiente da Baía de Sepetiba - Tel. (21) 9734-8088, 3366-1898
Victor Mucare (advogado dos pescadores) - Tel. 8878-0248




2 Comentários:

Márcia Benevides Leal disse...

Este tipo de ocorrência não é novidade , seja na Baia de Sepetiba, Guanabara , em qualquer outro lugar em que haja pescadores neste estado e mesmo neste país. Embora aqui estejamos falando de um rebocador que é uma máquina de grande porte que ocasionou o problema, sempre a ou as vitimas serão responsabilizadas, por que são pobres, pescadores e a empresa tem um departamento jurídico para isto mesmo. Mas, devemos parar e examinar esta situação com mais cuidado e perspicácia: o que se esconde por trás da obvia necessidade de exterminar os pescadores artesanais , tão necessários ao país sem que ninguém se dê conta disto, Mesmo antes do movimento de maquinas nas baias e lugares de pesca, ela já vinha diminuindo pela poluição e pelo interesse dos grandes empresários da construção civil. Antes os locais freqüentados pelos pescadores por motivo de ser seu ganha pão e também de moradia eram lugares que ninguém queria., mas com o advento da sociedade (pescador não é sociedade?) querer morar mais próximo da natureza e terminar por comprometê-la, existe por trás disto tudo algo tão perigoso quanto criminoso.
Estão promovendo há décadas o final da pesca artesanal no país , por vários motivos, quando é de interesse nacional a preservação deste tipo de atividade . E por que? São os pescadores artesanais quem primeiro dão o grito de alerta para qualquer modificação na água , seja ela de rio, laguna , baia ou no mar. Também, são ele quem primeiro percebem qualquer modificação na flora e fauna marinha. Tem morrido muito pescador neste pais : por morte violenta como também por morte moral já que muitos se entregam a vícios ou mudam de profissão perdendo o rumo de suas vidas. Comecei a ver isto acontecer no Nordeste com a chegada dos primeiros resorts, que foram saldados como grandes empregadores e na realidade criaram um problema social, pois o movimento é sansional na maioria dos lugares e os empregos também. A pesca ficou comprometida, pois alem do lançamento de esgoto em natura, ainda modificam o lugar com abertura e canais e aterros de mangues. Repetindo: isto não é só numa região e acontece em todo litoral brasileiro. Temos o caso da INGA que mesmo sendo anunciado não foi brecado. Temos o caso do Mélia que levou 20 anos mas está lá em cima de 60% de m manguezal aterrado. Ao olharmos nossa história em 1912 o Presidente Marechal Hermes declarava que a pesa seria uma grande riqueza para o país. Quase chegou a ser, mas mitos doutores foram formados com o dinheiro ganho honradamente por seus pais na pesca artesanal. Hoje, o país precisa com urgência de cumprir cotas de pesca e além de não ter uma frota pesqueira, também não tem peixe, e por que? Por que a maioria das espécies marinhas percorria a costa para desovar em lagunas costeiras e estuários de rios, ainda precisando dos manguezais para proteção de outros espécimes da fauna marinha. Depois de cumprido este ciclo eles se dirigem ao mar para completar seu ciclo de vida e formar a cadeia alimentar dos oceanos. Hoje é de suma importância ao país que este procedimento natural seja completado para podermos cumprir uma Convenção Internacional a CNUDM, que começou a ser tratada pela Marinha de Guerra em 1951 e uma das exigências que o Brasil aceitou é não quebrar a cadeia alimentar dos mares. O governo não tem apenas deixado continuar o ataque aos pescadores , mas também desmantelado a Marinha que junto aos pescadores artesanais seria a linha de frente para cumprimento da Convenção. Na CIRM em seu Art 3º o presidente Lula rebaixou a Marinha de Guerra duas vezes: uma em 2001 colocando o CM em segundo lugar na chave de 10 ministérios e em maio o de 2007 para terceiro lugar; escandalosamente colocou a sra. Dilma Roussef em primeiro! A população precisa estar atenta, pois o Comandante da Marinha de Guerra do Brasil ao assumir em março fez criticas procedentes e tardias, em maio esta atitude incoerente do presidente e em junho o Brasil recebeu a guarda de mais 70 milhas de plataforma marinha e que vai perder junto com as 200 milhas que recebeu na década de 70. Mais absurdo ainda foi acrescentar a esta chave mais três Ministérios , entre eles o da pesca. Muita ironia! Será que ele pensa que ninguém percebe as manobras. Precisamos e aviões , helicópteros e navios para fazer a guarda desta extensão marinha e de pescadores artesanais para cuidar das lagunas costeiras, baías e estuários ou perderemos o usufruto deste mar de 270 milhas. Agora vem aí um golpe de misericórdia para acabar e vez com o manguezal da baia da Guanabara , o tal Comperj da Petrobrás que vai poluir o ar, descartar os rejeitos (tudo tratado e monitorado, diz ela) na baía. Mesmo não existindo no país uma lei que apóie este insustentável , pedratório projeto que além de destruir ecossistemas protegidos pela Constituição, quebra um Pacto Global assinado pela empresa na ONU, impede o cumprimento de uma Convenção tratada anteriormente. Pratica assédio moral ao criar expectativas de 210 mil empregos, e que estranhamente Desembargadores do TRT escandalosamente já estão discutindo mais um novo TRT para atender a demanda de 180 mil desempregados que nem empregados estão. Ora, não é mais fácil evitar o problema? Além do ataque a natureza, desobediência às leis, quebra de Pacto, compromete uma Convenção Internacional e vi criar um bolsão de miséria e abandono em seu entorno. Vai haver compensação financeira! Alguém sabe como está à situação do Eldorado o petróleo, Macaé? Com tanta compensação financeira. Estamos vendo o modo de como se começa um crime doloso: o autor sabe do risco , foi avisado, tem o domínio da situação e continua. As autoridades e governantes apóiam e a população que só trabalha e trabalha não sabe o que a espera no futuro. Não foram mais algumas mortes de pescadores, muita coisa está escondida por trás disto. E a grande mídia? Onde está? Já foi procurada e nem se balançou! Ninguém quer dar a noticia verdadeira, só falam o que interessa ao poder.

FALA COMUNIDADE DO COMPERJ - AQUI VOCÊ TEM VOZ disse...

Obrigado por sua participação. Continue colaborando, pois este blog é de todos e todas nós.

Postar um comentário

Leia as regras
Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:
- Seu comentário precisa ter relação com o assunto do post;
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros blogs ou sites;
- Não inclua links desnecessários no conteúdo do seu comentário;
- Se quiser deixar sua URL comente utilizando sua OPenID
Obs: Comentários dos (as) leitores (as) não refletem as opiniões do blog.

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger.

TOPO